Schultz Wenk - O HOMEM QUE TROUXE A VW AO BRASIL.

Friedrich Wilhelm Schultz-Wenk (1914-1969), arquiteto alemão nascido em Hamburgo. Quando Schultz Wenk veio para o Brasil, ele tinha dois países para firmar a fábrica da VW: o Brasil ou a Argentina. Apaixonou-se pelo Brasil e apostou nele. Na época o presidente Juscelino Kubitschek tinha como plano de governo a industrialização e o crescimento do país, o famoso jargão "50 anos em 5". Schultz Wenk e Juscelino ficaram muito amigos.


Schultz-Wenk, representante da Volks na América Latina, queria fabricar carros no Brasil. Juscelino o presidente também. Juntos cumpriram muito mais que suas próprias determinações.

Hospedados em barracas improvisadas, políticos e empresários prestigiaram a inauguração de Brasília. Schultz-Wenk (direita) prepara-se para ir a festa, num Fusca.

Shultz-Wenk seguiu a exigência da matriz alemã: fabricou a Kombi antes do Fusca. Em 1957 sai a primeira perua da fabrica, na Via Anchieta

O País abre suas portas


Ambicioso sua meta era alcançar uma produção diária de 150 veículos. Por 16 anos Schultz Wenk dirigiu a empresa, viu sair o primeiro veículo montado com peças importadas no galpão alugado do bairro do Ipiranga, em 1953, e assistiu à produção de 800 carros por dia, em 1969. Sob seu comando a Volkswagen fabricou 850 mil veículos. Em março de 1953, a Volkswagen do Brasil se estabelece em um armazém na Rua do Manifesto, no bairro paulistano do Ipiranga. As peças chegavam embaladas da Alemanha e, depois de horas de trabalho, se transformavam, ganhando as ruas do país. Entre 1953 e 1957, 2.268 fuscas e 557 Kombis foram montados. Em 1956, a Volkswagen iniciou a construção de sua fábrica, localizada no Km 23,5 da Via Anchieta, em São Bernardo do Campo - SP.

Kombi 00001, uma foto que marcou época

Shultz-Wenk seguiu a exigência da matriz alemã: fabricou a Kombi antes do Fusca. Em janeiro de 1959, saíam da fábrica os primeiros fuscas brasileiros, com um índice de nacionalização de 54%. Quatro dias depois, o empresário paulista Eduardo Andrea Matarazzo adquiria o primeiro Fusca Brasileiro.

Schultz, também satisfeito, recebe a visita, em 64 do "Mister Volks", Heinz Nordhoff, presidente mundial da organização Volkswagen.

O mais espartano dos Fuscas, o Pé de Boi, teve seu lançamento em 1965 na própria fazenda de Schultz-Wenk.


Schultz Wenk morreu ainda jovem (estava com 55 anos em 1969). Sob seu comando a Volkswagen que era uma simples organização de montagem de veículos havia se tornado a maior indústria automobilística da América Latina.


Juscelino Kubistcheck, presidente do Brasil em 1959, acompanhado pelo governador de São Paulo, Carvalho Pinto, e os presidentes da Volkswagen da Alemanha, Heinrich Nordhoff, e do Brasil, Friedrich Schultz-Wenk. Os quatro circularam dentro do Fusca conversível em São Bernardo do Campo (SP), na inauguração da fábrica-sede da Volkswagen.



A montagem de Fuscas na Fábrica Anchieta da Volkswagen do Brasil assumiu uma proporção bem maior do que na rua do Manifesto

VW SEDAN 1959




**retirado de meu site de 1998 Fonte: Livro SÃO PAULO - 110 ANOS DE INDUSTRIALIZAÇÃO - 1880/1990 E JORNAL DE SÃO PAULO


© 2010 - 2020 |  Kombination ®